Arquivo da tag: Brasil

O Mercado de Peixe

O mercado Ver-o-Peso é uma das atrações mais interessantes da cidade de Belém, no Pará. Considerado a maior feira livre da América Latina, o local ferve com o comércio de peixes amazônicos.

Fotos Paulo Santos

Para ver mais  imagens >> Acervo H

Cheiros, Essências e Mandingas

No Ver-o-Peso,  as ervas amazônicas, os preparados e infusões, conhecidos como banhos e garrafadas feitas por erveiras com suas receitas, mantidas em segredo e repassadas de geração a geração , e prometem “descarregar” as más energias, atrair dinheiro e até mesmo recuperar um amor perdido.
Belém, Pará, Brasil.
Fotos Paulo Santos
Acervo H

Os Carregadores de Açaí

Trabalhadores descarregam os paneiros de açaí.

Fotos Paulo Santos
Galerias de Belém

Fim de Feira no Veropa

Tratado intimamento como veropa pelos moradores da cidade, o complexo do Ver-o-Peso  encerra mais uma madrugada de trabalho  para quem veio vender seus produtos na capital.

Belém, Pará, Brasil.

Fotos Ana Mokarzel

Sai Reforma no Ver-o-Peso

Romaria Fluvial
Romaria Fluvial 2014

Prestes a completar 400 anos, a cidade de Belém, no Pará, receberá, no dia 23 de março, a inauguração da primeira obra do PAC Cidades Históricas no Estado: a revitalização do centenário Mercado de Peixe, que faz parte do conjunto arquitetônico e paisagístico do Ver-O-Peso, tombado pelo Iphan em 1977.
O programa é uma das frentes de atuação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Na ocasião, serão entregues também as obras da Igreja do Carmo; da Capela da Ordem Terceira; e da pequena Capela da Adoração.

As quatro construções, que contam a história de ocupação da região, agora, poderão continuar a povoar a memória de seus habitantes, em um momento, no qual o desafio da preservação patrimonial não é só o de manter estruturas e sim reforçar vínculos afetivos e as relações simbólicas, integrando-os, cada vez mais, a vida social da cidade.

Ver mais >> IPHAN

Fotos Paulo Santos

Acervo H

A LEI DA ÁGUA

A LEI DA ÁGUA é um documentário brasileiro que explica a relação entre o novo Código Florestal e a crise hídrica brasileira.

Direção: André D’Elia

Água

Uma parceria:

Instituto Socioambiental – ISA
WWF-Brasil
Fundação SOS Mata Atlântica
Associação Bem-Te-Vi Diversidade
Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS)

Firmado o primeiro protocolo comunitário na Amazônia.

Articulados pelo GTA – Grupo de Trabalho Amazônico dezenas de lideranças se reuniram na vila São João Batista no arquipélago do Bailique firmando após três dias de debates o primeiro protocolo comunitário na Amazônia
Com a criação da Convenção sobre Diversidade Biológica – CDB – tratado da Organização das Nações Unidas, e a ratificação do protocolo de Nagoia em 2010, se inicia um processo de organização para os Povos e Comunidades Tradicionais em busca de maior qualidade de vida não apenas na Amazônia, mas em todo mundo.
Assim, em dezembro de 2013 a Rede Grupo de Trabalho Amazônico – GTA, em parceria com a Regional GTA/Amapá, o Conselho Comunitário do Bailique, Colônia de Pescadores Z-5, IEF, CGEN/DPG/SBF/MMA, juntamente com 36 comunidades do Arquipélago do Bailique, inicia o processo de criação do primeiro protocolo comunitário na Amazônia, instrumento que regula relações comerciais amparado por leis ambientais, estabelecendo o mercado justo, proteção da biodversidade, entre outros .
O encontro na comunidade São João Batista no furo do macaco (igarapé que dá acesso a vila), foz do Amazonas, recebeu cerca de 100 lideranças de 28 comunidades durante os dias 27 e 28 de fevereiro último , que chegavam de barcos e canoas acompanhados por suas famílias
Durante o debate, representantes do Ministério do Meio Ambiente, Ministério Público Federal, Fundação Getúlio Vargas, Embrapa e Conab esclareciam dúvidas e indicavam caminhos para fortalecer o primeiro protocolo comunitário na Amazônia.

Mais imagens >>  

Foto e texto: Paulo Santos

Energia problemática

A hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu, no Pará, devia começar a transferir energia para o sudeste do país dentro de cinco dias. A data estabelecida no contrato de concessão era 28 de fevereiro de 2015, mas a obra está atrasada pelo menos um ano…


Ler mais >> 

A índia TuíraKaiapó  (foto P&B) passa seu facão no rosto de José Antônio Muniz Lopes, diretor da Eletronorte, em protesto pela criação da hidrelétrica de Kararaô,  hoje UHE Belo Monte, durante o I Encontro das Nações indígenas do Xingu.

Altamira, Pará, Brasil.  Foto Paulo Jares  1989


Implantação da Unidade Hidrelétrica de Belo Monte e, a cidade de Altamira, uma das principais atingidas pela implantação do projeto

Altamira, Pará, Brasil.  Foto Paulo Santos  11/2013

Ver mais imagens >>

A Procura dos Acusados

Um dia após o enterro da missionária americana Dorothy Mae Stang, assassinada em Anapú no Pará, agentes das polícias civil, federal e militar vasculham a região em busca dos criminosos.

Dorothy Stang06V030511©PS

Anapu, Pará, Brasil   Foto Paulo Santos  16/02/2005.

A Prisão dos Criminosos


Raifran das Neves Sales o Fogoió, Clodoaldo Carlos Batista conhecido como Eduardo e Amair Feijoli da Cunha, o Tato, são presos em Anapu e Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, se entrega em Altamira a comissão do senado que investiga a morte da freira e é trazido a Belém. 2005.

Anapu, Pará, Brasil.   Fotos prisão em Anapu por Cadu Gomes  21/02/2005

Belém, Pará, Brasil.   Fotos prisão Bida por Paulo Santos  27/03/2005

Ver mais  >>  A Prisão dos Criminosos

Morte em Anapu


No dia 12 de fevereiro de 2015 completou dez anos do brutal assassinato da missionária Dorothy Mae Stang, aos 73 anos de idade. Ela foi morta com seis tiros à queima roupa, um deles na cabeça, sem a mínima chance de defesa, no município de Anapu, oeste do Estado do Pará. Dos cinco homens julgados e condenados pelo crime, apenas um cumpre prisão em regime fechado, mas por outro homicídio, outros três respondem a sentença no semiaberto e um ainda não cumpriu a pena.

Anapu, Pará, Brasil.  Fotos Paulo Santos   02 / 2005
Ver mais  >>   Morte em Anapu

O Carnaval na Lama de Curuçá


O tradicional bloco Pretinhos do Mangue, que usa como fantasia a lama dos manguezais de Curuçá, no nordeste do estado, desfilou neste domingo pelas ruas do município. A brincadeira ocorre há 26 anos e, com isso, tenta transmitir uma mensagem de preservação ambiental. O bloco volta às a partir das 17h desta segunda-feira . Foliões entram no manguezal se sujando de lama durante o carnaval no litoral do Pará.

Curuçá, Pará, Brasil.   Fotos Ney Marcondes   15/02/2015

Indulto para os Condenados


Clodoaldo Carlos Batista (camisa azul) e Amair Feijoli da Cunha o Tato, ambos condenados respectivamente a 17 e 18 anos pela execução da missionária americana Dorothy Mae Stang, sairam às 8h deste sábado (9), do Centro de Recuperação do Coqueiro. Eles foram beneficiados pela saída temporária para o dia dos pais. Os dois progrediram de regime em janeiro e fevereiro deste ano, por já terem cumprido o regime fechado, passando para o semi-aberto. 2008

Belém, Pará, Brasil  Fotos: Paulo Santos   09/08/2008
Ver mais  >>  Indulto para os Condenados